Rua Bruno Riscali, 569 - Vila Hípica - Olímpia - SP, 15407-150

Há 520 anos…

Cabral e sua trupe pisaram pela primeira vez em terras tupiniquins, em 22 de abril de 1500, após meses ao sabor das ondas do Atlântico. A mando de Dom Manuel, buscava recursos escassos e caros na Europa pós-Peste Negra. Vale lembrar que Portugal brigava diretamente com sua vizinha Espanha na busca por territórios além do Velho Mundo

A chegada, na então Ilha de Vera Cruz, hoje litoral sul da Bahia, causou alvoroço tanto aos visitantes portugueses quanto aos ‘hóspedes’ indígenas, já que ambas as etnias se encaravam pela primeira vez. Pero Vaz de Caminha, encarregado de escrever o diário de bordo da empreitada, descreveu os nativos como um povo com certa inocência e que não fazia questão de esconder “as suas vergonhas”. E logo rezou-se a primeira missa por Henrique de Coimbra certificando a posse da terra aos portugueses. Ações tão convincentes para quem ficou no Brasil por apenas uma semana.

A colonização demorou a decolar. A prioridade dos ibéricos mirava diretamente nas Índias Orientais por especiarias urgentes à culinária europeia. Durante as três primeiras décadas se contentaram com a madeira do pau-brasil, por conta do fracasso na exploração do ouro, que seria achado 250 anos depois em Minas Gerais. Contato amistoso com os índios, escambo e análises detalhadas recíprocas fizeram parte dessas ‘décadas perdidas’.

Analisando pela definição técnica, é um tanto errôneo usar o termo ‘descobrimento’ à chegada dos primeiros portugueses no Brasil. Nosso país era habitado por várias etnias e – de acordo com documentos de época – com aproximadamente 5 milhões de habitantes. O fato histórico carrega esse nome com certo preconceito ao legado indígena, marcado na culinária, construção de estradas, higiene pessoal, artesanato e no nosso próprio idioma.

O projeto empreendedor mais claro e agressivo ocorreu após o enfraquecimento do comércio europeu com a Ásia, junto aos bisbilhoteiros franceses e espanhóis (que queriam levar o Tratado de Tordesilhas a ferro e fogo) contornando a costa do nordeste e sudeste da colônia.

Deixe uma resposta

Fechar Menu